TRE-AP realiza treinamento de mesários e coordenadores para Eleições 2016



O Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP) promoverá treinamentos específicos para os mesários que atuarão nas Eleições Municipais de 2016. No total, são 6.144 mesários e 474 coordenadores de mesas receptoras. O cronograma de capacitação iniciará no dia 22 de agosto e vai até 16 de setembro e se estenderá para todas as Zonas Eleitorais do Estado.

A maioria de mesários que atuarão nessas Eleições está disposto em Macapá, sede da 2ª e 10ª Zonas Eleitorais. Ao todo, 3.344 pessoas distribuídas em diversos locais de votação da capital. A 6ª Zona Eleitoral de Santana é a segunda com maior número de mesários, 956 no total. A 7ª Zona de Laranjal do Jari fica em terceiro, com 424.

A mesa receptora de voto conta com quatro membros: presidente, secretário e 1º e 2º mesário. A novidade deste ano é a capacitação on-line na modalidade de ensino à distância (EAD), além dos treinamentos presenciais. No TRE-AP a formação em rede será destinada aos 2º mesários de Macapá e Santana que receberam o código para o acesso ao curso no ato da convocação ou inscrição no cartório eleitoral.

O treinamento via internet é desenvolvido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), no Amapá serão 1.075 mesários preparados com essa nova plataforma. Com o aprendizado, eles poderão prevenir e solucionar situações indesejáveis que possam ocorrer nas seções eleitorais no dia da votação. A ação atende ao Calendário Eleitoral e acontece em todos os TRE’s do Brasil.

O curso preparatório presencial para a função é ministrado por uma comissão de servidores do TRE, eles passarão ensinamentos teóricos e práticos das seguintes temáticas: funcionamento da seção, funcionamento da urna eletrônico, identificação por meio do processo biométrico, entre outras atribuições dos mesários. A capacitação conta com recursos áudio visuais (vídeo e slides), material didático (Cartilha do mesário) e treinamento prático na urna eletrônica (simulação de eleição e da atividade do mesário).

Os mesários também aprenderão a manter a ordem no local e otimizar o fluxo da votação, atender os eleitores com urbanidade, inclusive aqueles com necessidades especiais, e ainda, observar a nova sistemática implantada com a votação biométrica, zelando pela regularidade dos trabalhos eleitorais dentro das seções.

Calendário de treinamentos

De 22 a 26 de agosto a comissão de treinamento de mesários do TRE-AP, formada 8 técnicos da instituição, estará dividida oferecendo treinamento aos municípios de Pedra Branca e Serra do Navio (11ª Zona Eleitoral),  Porto Grande (12ª Zona Eleitoral), Amapá (1ª Zona Eleitoral), Tartarugalzinho (8ª Zona Eleitoral), Ferreira Gomes (9ª Zona Eleitoral), Oiapoque (4ª Zona Eleitoral), Calçoene (3ª Zona Eleitoral) Vitória do Jari (13ª Zona Eleitoral) e Laranjal do Jari (7ª Zona Eleitoral).

Do dia 29 de agosto até o dia 16 de setembro a Comissão estará treinando os mesários dos municípios de Santana (6ª Zona Eleitoral), Macapá (2ª e 10ª Zonas Eleitorais) e Mazagão.

Benefícios para os cidadãos

Os eleitores que trabalharão como mesários voluntários receberão certificados. Como em todo pleito, a maioria serão de estudantes e as horas de atuação nas Eleições contarão como carga horária nas disciplinas complementares. Eles serão dispensados do serviço na data do treinamento e do pleito, mediante declaração expedida pela Justiça Eleitoral. Ainda serão contemplados com folga pelo dobro dos dias trabalhados, incluídos os dias de treinamento, sem prejuízo do salário, vencimento ou qualquer outra vantagem.

Para os mesários que participarem do treinamento à distância, é necessário comprovar da participação do curso mediante declaração eletrônica (com código para verificação de autenticidade), emitida pelo sistema virtual de aprendizagem do TSE, para usufruir do benefício.

Não podem atuar como mesários os candidatos e seus parentes, mesmo que por afinidade, até o segundo grau e os menores de 18 anos. Quem foi convocado e não poderá comparecer deve apresentar um pedido de dispensa ao juiz eleitoral, que avaliará caso a caso.

Caso o mesário não vá trabalhar no dia da eleição, deverá apresentar justa causa ao juiz eleitoral em até 30 dias da data do pleito. Caso contrário, será aplicada uma multa cobrada por meio da Guia de Recolhimento da União (GRU). Se o mesário faltoso foi servidor público ou autárquico, a pena será de suspensão de até 15 dias.

Serviço:

Tribunal Regional Eleitoral do Amapá
Assessoria de Comunicação e Marketing
Daniel Alves
Fones: 2101-1504/84059044/91474038

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • Twitter
  • RSS

Exposição coletiva de artes plásticas na Praça Veiga Cabral terá noite musical com violinista amapaense que toca na Alemanha


Será aberta neste sábado, 06, mais uma exposição inédita na Galeria Trokkal, localizada na Praça Veiga Cabral. A “Exposição Coletiva Momentos” reunirá desenhos em pirogravura, pinturas e esculturas de 12 artistas amapaenses, que mostrarão ao público as diversas ramificações existentes nas artes do estado. No domingo (07) o espaço receberá uma atração artística musical para encantar o público, a amapaense Samara Taís Cunha de Freitas, que atualmente estuda na Alemanha, onde participa de orquestras e aperfeiçoa suas técnicas.
A Exposição Coletiva Momentos teve como curador o artista plástico J. Márcio, que selecionou para essa mostra trabalhos de artistas da nova e da velha geração: Ronaldo Picanço, Sebastião Campos, Jeriel, F. Damasceno, Miguel Arcanjo, Célio Souza, M. Silva, Grimualdo, Derlon Santana, Márcia Braga, Ecinildo e Marconi. A exposição ficará aberta de 6 a 19 de agosto, das 16h às 21h.
Intervenção musical
Domingo (7), às 19h, na Veiga Cabral
Samara Taís Cunha de Freitas é macapaense, tem apenas 31 anos de idade e um currículo invejável na música erudita. Iniciou seus estudos de violino aos 11 anos na Escola de Música de Brasília, onde teve seus primeiros contatos com orquestra sinfônica, tocando por vários anos como primeiro violino na orquestra da Igreja Adventista Central de Brasília e na Orquestra Sinfônica de Ceilândia, sob a Regência da maestrina Helena Herrera. Em 2003 mudou-se para São Paulo, onde estudou com renomados violinistas como Cecília Guida, Ênio Antunes (Faculdades Alcântara Machado- FAAM/FMU) e Elisa Fukuda.
Atuou por vários anos como violinista da Orquestra Sinfônica de Santo André sob a Regência dos Maestros Flávio Florence e Carlos Moreno e na Camerata Fukuda. Em Santo André(SP), teve a honrada oportunidade de iniciar, juntamente com o maestro Rogério Schwindt, o Projeto Locomotiva (orquestra para crianças de 7 à 18 anos, organização sem fins lucrativos), onde descobriu seu amor pelo ensino coletivo de cordas, trabalhando não só com a criação da didática de ensino dos instrumentos do projeto, mas também com a escrita de arranjos, escolha do repertório e regência da orquestra.
Desde 2013 mora na cidade de Colônia na Alemanha, onde aprimorou seus estudos de violino com renomados violinistas como Géza Kapás(Hungária) e Emilian Piedicuta(Romênia) e atuou como violinista convidada da orquestra de ópera Kammeroper Köln. Atualmente é aluna da Hochschule für Musik und Tanz Köln (Escola superior de música e dança de Colônia) e cursa o bacharelado em violino com habilitação em pedagogia instrumental, sob a orientação da violinista Rose Kauffmann. Samara se apresenta com um violino moderno de estilo italiano assinado por Marcello Martinenghi, de 1945.

Rita Torrinha

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • Twitter
  • RSS

7º Desafio de Snipers reúne atiradores mais habilidosos do Amapá



Num circuito de 3,5 km, o desafio exige preparo físico, agilidade e precisão dos competidores.

Por: Cliver Campos


Aconteceu no fim de semana, em Macapá, o 7º Desafio de Snipers de Tiro Esportivo. A competição foi organizada pela Federação Amapaense de Tiro Prático (FATP) e reuniu os 30 melhores atiradores do Amapá, divididos em 15 duplas, no Residencial Acácio, no distrito do Coração.


O termo Sniper é usado para definir o atirador habilidoso, especializado em tiro de longa distância. “O armamento usado pelos atiradores é o Rifle CBC 8022, com mira telescópica, munição de ponta ogival, em chumbo maciço. Atinge uma velocidade 380 metros por segundo, mais estável e tem um melhor impacto”, explica o competidor Jesus Ramos.


Cada dupla, formada pelo observador e o atirador, percorre um circuito de 3,5 km de cinco estágios. O observador tem a função de advertir com uma luneta e orientar o atirador, e o atirador tem a função de efetuar os disparos. 

 No estágio 1, que acontece em área descampada, o atirador deve acertar cinco alvos metálicos a 120 metros de distância. No estágio 2, dentro do lago, o objetivo é acertar 10 alvos de plástico com distância entre 50 e 60 metros. Já no estágio 3 o competidor rasteja para acertar dois alvos de papel a 100 metros de distância. No estágio 4, mutar, os disparos ocorrem de cima para baixo, geralmente em cima de uma árvore, distância de 120 metros. E no estágio 5, “Stand”, o tiro acontece a 100 metros de distância.

“Esse é um esporte que exige bastante preparo físico do competidor, precisão e velocidade. Pois a pontuação final é o resultado do tempo sobre os acertos nos alvos. Vence aquele que fizer o percurso em menos tempo, não basta ser um exímio atirador, a velocidade também é fundamental”, concluiu Jesus.

O tiro esportivo é praticado há 16 anos no estado do Amapá e continua ganhando novos adeptos. “A modalidade chegou a Macapá em 2000 e é um esporte muito caro. O atleta tem que ter muito amor pelo esporte. Apesar desses fatores, a adesão está sendo boa”, comentou Bira Silva, ex-policial militar e atirador.

Resultado: 1º lugar - Rafael e Armstrong;
2º lugar: Johnny e Wilkis;
3º lugar: Igor e Raphael.

A próxima competição da modalidade será de “Shot Gun”, com espingardas calibre 12, no dia 28 de agosto (domingo), às 8h. Interessados em praticar a modalidade de tiro esportivo devem participar do curso básico de tiro esportivo, em seguida entrar em contato com a coronel Palmira Bittencourt (presidente da Federação Amapaense de Tiro Prático), endereçada ao Quartel da PM/AP, Dasc, situado na Rua Jovino Dinoá, s/nº, bairro Beirol, Macapá/AP, fones: (96) 98112-9166 e 9142.6427. Horário: de segunda a quinta-feira, das 8h às 17h, e na sexta-feira, das 8 às 13h.

Outras informações no site: www.clubedoatirador.blogspot.com.br

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • Twitter
  • RSS

Programa 1 Hora de Notícias


  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • Twitter
  • RSS

Hoje tem Estação Lunar na Fazendinha


  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • Twitter
  • RSS

Programação do Estação Lunar desta quinta-feira homenageia Banda Placa

Acontece nesta quinta-feira, 21, a segunda edição do projeto Estação Lunar, que faz parte da programação do Macapá Verão 2016. A praia de Fazendinha receberá mais uma vez um seleto grupo de artistas que renderá homenagens à tradicional Banda Placa.

O show de verão inicia às 19h com a contação de histórias de Elmeraldina dos Santos, filha da tia Chiquinha do Bolão, do quilombo do Curiáu. Cley Lunna abre o repertório musical às 20h, em seguida tem Marabaixo com o grupo da Favela, Dica Congó, depois mais música com Nonato Santos, Lolito do Bandolim, Ariel, Emília Monteiro e, para fechar a noite, o especial da Banda Placa.
Banda Placa

O grupo musical genuinamente amapaense foi fundado em 09 de março de 1983 com o nome Placa Luminosa, teve como fundadores os irmãos Carlitão e Álvaro Gomes, passando por várias formações com Joaquim França, Joãozinho Batera, Osmar Júnior, Pintinho, Raimundão, entre outros. De fato, uma geração de bons e talentosos músicos, ainda sem tanta expressão no meio musical, mas convictos na valorização e perpetuação da música amapaense.

Durante algum tempo os projetos e as iniciativas foram amadurecendo a BANDA PLACA. Impulsionada com o sucesso que lotava praças públicas, quadras de escolas e clubes, a banda fez história que marcou a juventude amapaense do início da década de 80.

Ao longo desses 30 anos, a banda vem idealizando e concretizando projetos culturais, sociais e educacionais que são tidos, por críticos da área, como importantes fomentadores do legado da produção cultural amapaense e da história de sua gente. Inúmeros foram os projetos realizados com recursos da própria entidade dentro e fora da cidade de Macapá, dentre os quais: A Vida e Obra de Paulo Diniz; Rock Luz; Carnaval do Povo; Música na Escola; Mazagão Velho dois séculos de Cultura; Ponto de Encontro; Placa Esporte Clube; Alé; Frutos e Sementes; Tambores; Nossos Ídolos e Aiô Folia.

A formação atual da Banda Placa possui 12 integrantes, são eles: Carlitão e Batan (vocalistas), Alan Gomes (baixo), Álvaro Gomes (guitarra), Macarrão (bateria), Diego Gomes (percussão), Grilo (percussão), Sinei Sabóia (trompete), Amilson (teclado), Nel (sax e flauta), Valério (percussão) e Xuxu (trombone).


O Estação Lunar é uma realização da Prefeitura de Macapá, que teve sua estreia no ano passado e que, por conta de seu sucesso, já compõe o calendário cultural da programação do Macapá Verão. Este ano o formato do evento está rendendo homenagens a artistas e grupos que são referência no universo musical amapaense. O primeiro homenageado foi o mestre Nonato Leal, nesta quinta será a Banda Placa e no dia 28 de julho o grupo homenageado será o Pilão.

Elton Tavares


  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • Twitter
  • RSS

Começa nesta semana a edição 2016 do projeto Estação Lunar




Começa nesta quinta-feira, 14, no balneário de Fazendinha, o projeto Estação Lunar, que este ano terá três edições. É a continuação do Macapá Verão 2016 em alto estilo e com nomes consagrados da Música Popular Amapaense. Este primeiro show homenageará o professor Nonato Leal, um dos maiores músicos amapaenses. Promovido pela Prefeitura de Macapá, o Estação Lunar tornou-se sucesso de público nas noites de quinta-feira do Macapá Verão, desde o ano passado.

Este ano, a prefeitura organizou cada show em homenagem a um convidado especial. A edição do dia 21 fará homenagem à Banda Placa, e no dia 28 será o Grupo Pilão o homenageado. Mas nesta quinta é o mestre Nonato que receberá o carinho dos colegas artistas e do público.

 Nonato Leal

 Raimundo Nonato Barros Leal nasceu no dia 23 de julho de 1927, na cidade de Vigia (PA). Começou a tocar instrumentos de corda aos 8 anos de idade. É professor de música formado em conservatório e lecionou durante 28 anos na Escola de Música Walkíria Lima. Morador do bairro do Trem desde 1959, é casado há 57 anos e tem 6 filhos como sua maior herança. É pai de Vanildo e Venilton Leal (os dois são músicos). Nonato se considera um eterno aprendiz de música. Ele carrega uma bagagem de 78 anos de carreira e muitos shows pelo Brasil. Filho de pais que respiravam música, tem como sua maior referência o cantor Luiz Bevilaqua, que o orientou a tocar somente violão. (Fonte deste perfil: selesnafes.com).

 Programação de quinta-feira, 14, do Estação Lunar:


19h - Contação de história com Rute Xavier;

20h - Show voz/violão Lula Jerônimo;

20h30 - Batuque Raízes do Bolão;

21h - Show musical Professor Nonato Leal;

21h30 - Show musical Naldo Maranhão;

22h - Show musical Hanna Paulino;

22h30 - Show musical Senzalas;

23h30 - Show musical Finéias Nelluty.


Rita Torrinha/Asscom PMM
Foto: Max Renê
 

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • Twitter
  • RSS